sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Hoje não há vagar


«[...]
Faz falta que possam ser lidas [as homilias] com mais vagar. Só que hoje não há vagar. Corre tudo muito depressa. E as palavras pronunciadas, muitas "leva-as o vento" e não regressam. A não ser que haja possibilidade de as retomar e fazer fermentar. Porque de fermento se trata, fermento que leveda a massa, se nela penetrar.

Hoje não se lê muito
. Anda tudo nas redes da comunicação on line. Mas não passou de moda o livro. Nem passará. Porque tem séculos de vida e já se percebeu que nada o pode substituir.
[...]»

João Miranda Teixeira, in «Apresentação» de É Este o Tempo - A experiência da missão, de Manuel Clemente.

Sem comentários:

Publicar um comentário